Digite seu e-mail para receber nossos informativos:
Imprensa > Release > Reunião conjunta da Fiesp e do Ciesp debate cenário econômico para segundo semestre de 2020

Release

Reunião conjunta da Fiesp e do Ciesp debate cenário econômico para segundo semestre de 202023/06/2020

Na última terça-feira (16/06), diretores regionais do Departamento de Ação Regional (Depar) da Fiesp e diretores da Regional do Ciesp Sorocaba promoveram uma reunião conjunta dos Conselhos Consultivos do Sesi/Senai das regionais de Sorocaba, Cotia, Indaiatuba, Itu e São Roque.

Na ocasião, o especialista em Pesquisa e Estudos Econômicos da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Denilson Torcate Lopes, fez uma apresentação sobre o atual cenário econômico e as perspectivas para o segundo semestre de 2020.

Lopes observou que alguns países começaram a reabrir suas economias após a quarentena imposta pela pandemia de covid-19, mas os dados apontam para uma recessão global em 2020. “De acordo com o Banco Mundial, todas as economias terão retração este ano, com exceção da China que deve crescer apenas 1% e não terá uma recuperação rápida porque o resto da economia global está fragilizada”, explicou o especialista.

Ao abordar a economia brasileira, Lopes destacou que a incerteza alcançou níveis sem precedentes. “Os indicadores de confiança setorial, que vinham em uma curva ascendente, despencaram em todos os segmentos: comércio, construção, indústria e serviços”, completou.

Tendo em vista este cenário, a queda de -1,5% do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre em relação ao quarto trimestre de 2019 não surpreendeu o mercado, segundo afirmou Lopes. “O PIB da indústria de transformação também recuou em 1,4% no primeiro trimestre deste ano. Este resultado é devido à abrupta queda do desempenho da produção industrial durante a quarentena. Dados do IBGE demonstram que na indústria de transformação, nos meses de março e abril, a variação da produção física foi de -30,6%”, ressaltou o especialista.

Saldo de Empregos
Com a chegada da Covid-19 no Brasil, mais de 1 milhão de vagas formais foram perdidas. “Entre os meses de março e abril, o saldo de empregos com carteira assinada foi -1.067.904. O setor de Serviços foi o que mais demitiu, com um saldo de -458.413, seguido do Comércio com -296.065 e da Indústria de Transformação com -219.879”, salientou Lopes.

Segundo o especialista, há muita incerteza quanto ao ritmo de retomada no segundo semestre deste ano e o vigor do crescimento a partir do próximo ano dependerá da execução da agenda de reformas. “Esta pandemia atingiu o país em um contexto de baixo crescimento e uma dívida pública muito elevada. A partir de 2021, será fundamenta uma sinalização por parte do governo em questões ligadas à responsabilidade fiscal e retomada das reformas, visando evitar uma excessiva desvalorização cambial, aumento dos juros e baixo crescimento econômico”, explanou.

Apesar do juro básico ter apresentado mínimas históricas e da queda da inflação, esta realidade não se reflete na concessão de crédito para as empresas. “Esse cenário benigno da inflação dá sustentabilidade para se manter a taxa de juros em um patamar baixo, mas a grande questão são as garantias para as linhas de crédito. O presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, vem trabalhando incessantemente junto às esferas governamentais para sanar essa dificuldade”, concluiu Lopes.

Para o diretor titular do Ciesp Sorocaba, Erly Domingues de Syllos, a necessidade de crédito é a grande demanda das empresas e de modo geral existem várias linhas disponíveis, porém as dificuldades são muitas na hora da tomada do crédito. “Aproximadamente 22% das empresas conseguem linhas de crédito, mas algumas ainda com juros abusivos. A expectativa é que com o novo Programa de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) do Governo Federal o dinheiro chegue com mais facilidade nas mãos das empresas”, ressaltou Syllos.

O diretor do Ciesp Sorocaba disse ainda que as entidades regionais têm desempenhado um trabalho consistente para evitar que a situação se agrave, afetando a sociedade como um todo. “Estamos repassando todas as medidas provisórias que estão sendo aprovadas para os empresários e nossas demandas estão sendo levadas para o governo federal, por meio de uma equipe liderada pelo nosso presidente Paulo Skaf, e estão sendo atendidas na medida do possível”, concluiu.

Trabalhos solidários
Durante a reunião, também foram apresentados os trabalhos solidários do Senai e do Sesi na região e de acordo com o diretor do Senai de Itu, Helvécio Siqueira de Oliveira, três grandes projetos sociais foram determinados pelo presidente Paulo SKaf. “Estamos trabalhando na recuperação de respiradores nas cidades que compõem as regionais de Sorocaba e Itu. Foram recuperados 22 aparelhos, possibilitando habilitar pontos de atendimento em UTIs em Sorocaba, São Miguel Arcanjo, Itapetininga, Araçariguama, entre outras cidades. Outro projeto que estamos desenvolvendo é a produção de mil máscaras por dia emcada escola do Senai na nossa região e em Itu foi colocada uma unidade móvel para isso”, comentou.

Helvécio lembrou ainda que com o apoio financeiro de empresas da região, a escola do Senai de Sertãozinho está produzindo álcool gel para distribuição nas comunidades carentes. Já o Serviço Social da Indústria (Sesi) produziu 4 milhões de refeições no mês de maio e até o final junho serão produzidas mais 2,5 milhões. Além disso, a Fiesp fez a doação de 100 mil cobertores que serão distribuídos pelas mesmas entidades parceiras que estão que entregam as refeições.
“Apesar deste cenário tão crítico da economia, a indústria se mobilizou e a ajuda está chegando em boa hora. O trabalho tem sido feito e vamos sair desta crise mais fortes e amadurecidos como sociedade”, concluiu Syllos.

Também participaram da reunião os diretores adjuntos do Ciesp Sorocaba, Mario Tanigawa e Nelson Cancellara; o presidente da Associação Comercial de Sorocaba, Sérgio Reze; o diretor do Sesi Indaiatuba e Itu, Guilherme Castilho Sábio; o diretor do Senai Sorocaba, Jocilei Oliveira; o diretor do Sesi Sorocaba, São Roque, Votorantim, Tatuí Itapetininga, Júlio César Martins; o diretor do Depar de Mairinque e São Roque, Vinicius Pensa, entre outras autoridades.

Outras informações pelo site www.ciespsorocaba.com.br ou pelo telefone (15) 4009-2900.

Informações para a imprensa:
Vergili Press Office Comunicação Integrada
Carla Acquaviva | carla@vpocomunicacao.com.br |(15) 99760.4004
Sandra Vergili | sandra@vpocomunicacao.com.br | (15) 99773.8572