Digite seu e-mail para receber nossos informativos:
Imprensa > Release > Pesquisa do CIESP Sorocaba indica otimismo para 2020

Release

Pesquisa do CIESP Sorocaba indica otimismo para 202018/12/2019 Foram ouvidas 119 empresas dos segmentos da indústria, comércio e serviços


Da esq para dir. - Robson Coivo, Erly Domingues de Syllos e Rodrigo de Figueiredo.jpeg


A Regional Sorocaba do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP), em parceria com a agência Verbo Comunicação, divulgou nesta terça-feira (17), o resultado da pesquisa “As Expectativas Empresariais da Região de Sorocaba para 2020”. O levantamento foi realizado entre os dias 26 de novembro e 1º de dezembro, com 119 empresas, sendo 36,1% da indústria, 9,2% do comércio e 54,6% do setor de serviços. Dos entrevistados, 26,9% ocupam o cargo de diretoria, 21,8% de presidente ou vice-presidente, 12,6% de gerente, 5,1% são proprietários ou sócios e os demais respondentes ocupam os cargos de especialista, analista, auxiliar ou outros.

No panorama geral, 57,2% dos entrevistados acreditam que o desempenho de seu segmento em 2019 foi “muito bom” ou “bom”, 28,6% disseram ter sido razoável, 10,1% ruim e apenas 4,2% disseram ter tido um desempenho muito ruim. Quando analisado por segmento, 48% dos participantes do setor industrial responderam que o ano de 2019 foi “muito bom” ou “bom”, 90% dos representantes do comércio tiveram a mesma percepção e 59% das empresas de serviços responderam também que foi “muito bom” ou “bom”.

Os que achavam que o ano de 2019 foi igual ao ano de 2018 foram: 35% da Indústria, 10% do Comércio e 27% do setor de Serviços. Já aqueles que consideram o ano “pior” ou “muito pior” foram 17% da Indústria, 14% de Serviços e 0% do Comércio.

De acordo com o levantamento, a expectativa para 2020 é de que o próximo ano seja “muito bom” ou “bom” para 84% dos entrevistados do setor industrial, 73% do comércio e 80% das empresas de serviços.

Ainda segundo o estudo, 38,7% das pessoas ouvidas acreditam que a Tributação é a principal barreira de crescimento e competitividade; 16,8% dos entrevistados apontaram a Burocracia e 16% a falta de investimentos. Quando analisado o setor industrial isoladamente, a tributação ganha um peso maior como barreira, sendo que 62% acreditam que este é o principal fator de entrave, seguido de Política Empresarial (11%), Burocracia (9%) e Falta de Investimentos (7%).

Em relação à Capacidade Produtiva e Número de Funcionários, 9% dos respondentes do setor Industrial disseram estar “acima do padrão”, 26% responderam estar “no limite” e 65% afirmaram ter “ociosidade”. O cenário se mostra diferente para o setor do comércio, sendo 18% “acima do padrão”, 73% “no limite” e apenas 9% responderam ter “ociosidade”. Já no setor de serviços, a situação está equilibrada entre “no limite” (42%) e “ociosidade” (45%), sendo que 13% disseram estar “acima do padrão”.

Eficiência Energética e Conservação de Energia

Para 2020, a expectativa de aumento de investimento em programas de Eficiência Energética é de 37% nas Indústrias, 27% no Comércio e 31% em Serviços. 58% das indústrias responderam que os investimentos se manterão estáveis. A mesma perspectiva foi apontada por 63% das empresas do comércio e 58% de serviços. A pesquisa indicou que apenas 5% das indústrias pretendem diminuir investimento nessa área. Já 10% dos representantes do comércio e 6% de serviços disseram que devem ter uma diminuição nos investimentos.

O estudo levantou também os principais temas que as empresas desejam conhecer através do CIESP. 55% dos entrevistados desejam saber mais sobre Gestão de pessoas (liderança, estratégia, motivação); 42% Comunicação Digital; 37% Vendas; 36% Indústria 4.0; 32% Melhoria Contínua; 30% Recursos Humanos (legislação); 28% Finanças e Custos; 27% Marketing; 23% Projetos; 23% Linha de Crédito e 23% Legislação Tributária.

Segundo o diretor titular do Ciesp Sorocaba, Erly Domingues de Syllos, a pesquisa reflete o atual momento de retomada da economia. “Temos alguns dados bem claros e definidos no setor industrial que demonstram que as reformas e as medidas que estão sendo adotadas pelo governo federal estão revertendo a crise e devemos ter um crescimento sustentado para os próximos anos. Na esfera municipal, Sorocaba recebeu duas novas leis que estabelecem incentivos fiscais para a região Central e para as indústrias e prestadores de serviços da cidade, visando atrair novas empresas e a manutenção das empresas já instaladas no município”, explica Syllos.

Para o Secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Turismo e Renda de Sorocaba, Robson Coivo, o objetivo da atual gestão é criar um ambiente favorável para a realização de negócios. “Nós temos procurado ferramentas para desburocratizar e isso vem atraindo novas empresas para a cidade”, comemora Coivo.

De acordo com o diretor da Verbo Comunicação, Rodrigo de Figueiredo, a pesquisa mostra que o pior momento já passou, mas os empresários ainda estão agindo com bastante cautela. “É importante ressaltar que os profissionais devem se preparar para essa retomada da economia investindo em capacitação para não perder as oportunidades que vão aparecer”, observa Figueiredo.

Syllos ressalta também que agora é o momento das empresas se reinventarem. “Devido à Indústria 4.0 que está chegando, é necessário que as empresas busquem inovação tecnológica para serem competitivas no mercado local e também poderem competir globalmente”, conclui.

Para saber mais sobre o Ciesp Sorocaba, acesse: www.ciespsorocaba.com.br. Outras informações pelo telefone (15) 4004-2900.